quinta-feira, 18 de setembro de 2014

TU ÉS...
 _És como aquela Primavera que já não se espera
és como o céu azul que sem nuvens espera o nascer do sol na madrugada
és como a luz da lua brilhando sobre dois amantes que se perdem num olhar
és uma ida e uma volta
uma chegada feliz
um partir até ti,
por mim
és como uma estrela que me mantém desperta
uma quimera que já não se espera
um amor fundido em dois corpos
um desejo na vida de alguém
que somente te ama
ama e ama,
denunciar-te-ei às autoridades
há um fogo posto em mim que arde continuamente
que tu acendeste
um fogo posto em mim
que arde em chamas por ti
há um fogo posto  em mim por ti
incendiário do meu corpo
tu és!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...