segunda-feira, 30 de julho de 2012

Raiz do mel...



Pergunto-te se sabes
Onde nasce a raiz do teu mel?
Sim...
Do teu mel
Esse que leio em ti
Que me entontece
Me desfalece
Me deixa de razão perdida
Esse mel que cola...
Os meus olhos aos teus
Cola a minha boca à tua
O meu corpo ao teu
Esse doce mel que me deixa desperta no sono
Esse mel que descobriu o meu''mel''
Que escorre nas palavras
Não ditas
Que cola nas mãos inquietas
De se acarinharem
De se tocarem sem parar
Não procures mais
O teu mel
Tem raiz em mim!!!
Adelina Charneca
30-07-2012
17.30h


domingo, 29 de julho de 2012

Standbay(me)



(...)
Tenho-te preso
Nos meus dedos
Esperando entrelaçados
Sinto-te em mim
Em laços de ternura
Colado em meu peito
Em beijos e abraços
Sussurros em dó menor
Calados
Silenciados
Devagarinho
Doce carinho
Deixando-me assim
Em estado perfeito
Amor sentido
Fora de tempo
Sem hora para a demora
Correndo para ti
Fugindo de mim
Em bicos de pés
Escaldante
Activos vulcões
Perfeita sinfonia
De dois corações
Adelina Charneca
29-07-2012
00.00h

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Sinto(te)




Suspensa do teu respirar
Presa da vontade de te amar
Diz-me
Levas-me a voar...
Fazes-me levitar...
Preenches o meu amar...
Ondeando  nas ondas
Do meu ser a vaguear
Em tempestade salgada
Saqueada de tesouros
Tempestade anunciada
Revoltada,dominada
Mas...
Indomável tempestade
Ternas tormentas
Por ti...em mim.
Adelina Charneca
27-07-2012
15.45h


Apenas voar...



Sou como uma ave
Viajo no dorso do sonho
Envolta no nevoeiro
Flocos de algodão
Em que mergulha o meu pensamento
Aberto o coração
Repleto de sentimento
Sorriso largo
No momento em que me tens
Vontade de dar-me
Receber-te inteiro
Perigoso sentir
Amargo querer
Vontade inteira
De feiticeira
Olhar de safada
Apaixonada...
Nada intimidada...
Adelina Charneca
27-07-2012
13.30h

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Somente...


Quero somente...
Ler-te em poesia,
Ter-te em cada dia
Beijar-te junto ao mar,
A(mar)-te na maresia
Quero,
Quero-te beijar,
Tocar-te ao de leve
Sussurrar ternura no teu ouvido
Deixar-te no meu amor,
Rendido
Ter-te a meus pés,
Beijar-te loucamente
De amor enlouquecer-te
Sómente...
Adelina Charneca
26-07-2012
22.15h

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Para ...



Em frente a mim
Admiras-me os olhos
No meu ouvido
Pronuncias palavras ternas
Dás-me um  abraço
Admiras-me as pernas
Falas do meu cansaço
Também da minha boca
Dizes que te dá tonturas
Queres deixar-me louca
Soterrada de amarguras?
Eu já tenho o que me chegue
Que me tira a paciência
Embora não o negue
Gosto,
Aprecio a tua insistência
Ando perdida,
Desiludida
Farta de tudo ,
O novo e o antigo
Natureza saturada,
Ardida
Sufocada,
Zangada...comigo!
(EU)
25-07-2012
11.00h

domingo, 22 de julho de 2012

Estrela cadente



És como um cometa na minha vida,
passaste com dia e hora marcada,
desapareceste com a mesma velocidade que vieste,
caíste nas ravinas,
nos penhascos que tanto procuraste...
preferia-te uma estrela,
essas dão brilho,
permanecem por biliões de anos,
sorriem nas noites escuras,
surgem em sonhos de dormir e de acordar,
...bandos de estrelas na minha vida sim,
tenho estrelas em bandos sobrevoando o meu pequeno ser,
a minha pequena existência...
vem,vem que te quero ver nas noites de luar
nas outras necessito da tua luz,
vem então iluminar a minha vida,
tirar este cinzento que me perturba,
vestir a vida de vermelho,
de dourado''sei lá''
vestir a minha vida de outras vestes  mais bonitas,
mais sorridentes,
com muito mais estrelas!!!
(EU)
22-07-2012
21.35h

sábado, 21 de julho de 2012

Ainda que...



Mesmo que estejam os caminhos desertos
E que os silêncios ecoem da tua voz
Mesmo que nos jardins murchem todas as flores
Que as estrelas de noite não brilhem
Até mesmo que sequem os rios
Que a surdez não deixe escutar a música
Até se as andorinhas não voltarem na primavera
O que importa apenas
E que as nossas mãos chorem de saudade
Que as nossas bocas queiram beijos
Que o nosso corpo peça o  abraço
Que o meu espaço se esvazie sem o teu
Na imensidão dos meus olhos
Recordo o teu meigo olhar
Para que...
Antes que os dias terminem
Exista de novo em nós fogo ardente
De desejo,
Dando razão á nossa existência.
Adelina Charneca
(EU)
19-07-2012
13.30h


terça-feira, 17 de julho de 2012

Bordando a vida





Bordando a vida
Quero bordar a''ponto cruz''
As bainhas da minha vida
Bordarei com''pé de flor'',
O nome do meu amor
No coração a''ponto cheio''
Enfeitado com''ajour''
Richelieu,madeira sei lá
Pintarei com mil decalques,
A noite o dia e a tarde
Em cada  dia que finda
Na lua que em mim arde,
no sol que me congela
Na estrela que me guia
No infinito azul''negro''
Bordarei o meu e o teu nome
Mas...
Como te chamas?
(EU)
16-07.2012
18.00h

Cansaço



À janela do meu querer
Vejo-te com desejo de te viver
Encontro-te meio envergonhada
nas curvas e contra curvas
das colinas e vales
que percorres sem me alcançar.
As cercas que silenciosas nos afastam,
riem-se de nós
dão gargalhadas sinistras
sem no entanto se fazerem escutar
gargalhadas silenciosas
engolidas em seco
com dor
contorcendo-se
tropeçando,
caindo,
levantando-se,
gemendo
Fecho a janela...
Cansei de querer!
Adelina Charneca
17-07-2012
11.00h

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...