quarta-feira, 25 de julho de 2012

Para ...



Em frente a mim
Admiras-me os olhos
No meu ouvido
Pronuncias palavras ternas
Dás-me um  abraço
Admiras-me as pernas
Falas do meu cansaço
Também da minha boca
Dizes que te dá tonturas
Queres deixar-me louca
Soterrada de amarguras?
Eu já tenho o que me chegue
Que me tira a paciência
Embora não o negue
Gosto,
Aprecio a tua insistência
Ando perdida,
Desiludida
Farta de tudo ,
O novo e o antigo
Natureza saturada,
Ardida
Sufocada,
Zangada...comigo!
(EU)
25-07-2012
11.00h

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...