segunda-feira, 29 de setembro de 2014


Enrededaste os teus dedos nos meus cabelos longos,
sentia o teu respirar tão perto de mim
que se confundia com o meu,
conhecia o fundo do teu olhar ,
sabia a medida do teu amar,
tinha que ser algo muito belo,
havia tempo que te conhecia sem te ter visto,
conhecia-te por telepatia,
com a certeza de encontrar-te mais dia menos dia
o teu voo durou tão pouco tempo que ...
quando me avisaste que vinhas ,já estavas era chegando
saí para a rua correndo,
apetecia-me gritar de felicidade
gritar por saber que és uma bela verdade
confusa e meio tonta,estendi-te os braços
acho que o primeiro abraço foi mesmo muito torto
um abraço como tu tanto gostas,
aquele à.......!!!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...