terça-feira, 23 de setembro de 2014

Tenho vontade de pintar as minhas vidas
com todas as cores que me forem permitidas
e sorrisos para espalhar
por todas as minhas dores consentidas
tintas de montanhas azuis de nuvens em lagrimas salgadas
ondas no mar de faróis acesos sem marcas de areias pisadas
estar sempre perto das minhas quatro vidas amadas
esperar os sorrisos de caricias sempre tão ansiadas
ser feliz,
em cada amanhecer sem inquietas madrugadas
luas cheias,
sóis de luz ,
chuvas molhadas,
vidas adoradas
as minhas!
Adelina Charneca



Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...