sexta-feira, 19 de setembro de 2014

 
__A minha poesia escondeu-se...
...não sei para onde viajaram as palavras
sei apenas que me foram emprestadas
emprestadas pelo sentir ...
mas......
vejo-as fugir...
escapam-me entre os dedos
fugindo de mim...
tudo que me dão as palavras...
esta agora cravado na pele
e não consigo arrancar...
estas palavras escritas que me são emprestadas...
que me fogem dos dedos...
estão agora na minha voz...
na minha voz soluçando...
na minha voz apregoando...
palavras verdade...
que me provocam ...
que me saem...
que não me foram emprestadas..
digo-as porque as sei de cor
elas estão salpicadas e de verdade pintadas...
com tatuagem de amor!
Adelina Charneca*

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...