domingo, 7 de setembro de 2014

...quando transportas palavras em ti pela mão da tua caneta,
dizes,
sempre que a fala do teu coração se torna palavra escrita,
sonhas,
sabes que o coração te dói quando as palavras te saltam dos olhos em silêncio,...
dizes gestos de coragem sempre que abras o sentir ao mundo,
guerreira da utopia,
da utópica realidade que cria...
apenas dizendo,
pequenina eu sou,
ante palavras tão gigantes,
insignificante me sinto,
escrevendo o que não quero,
porém,
se não o escrevo,
de fome de palavras me desespero,
enfrentar a solidão de sentir,
morrendo em cada sílaba por não saber desistir!
Adelina Charneca

Sem comentários: