quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Às vezes tive vontade de gritar ao mundo para que abrisse os olhos e visse...
outras,tive necessidade de prostrar-me em silêncio,
algumas, revoltei-me e chorei até perder as forças,
outras tantas,limitei-me a escutar o tamanho da minha dor,
dezenas de dias de água nos olhos,...
outras tantas noites sem dormir nem sonhar,
tantas manhãs e tardes procurando a saída mais curta...
menos dorida...
...ohhhh céus não me deixem aqui tão só...
ohhh dor...
mata-me de uma vez, sem dó...
acaba-me já com a vida,
dorida,
e aflita desta pobre e pequena criatura. ..
vem morte e leva-me...
porque tanto tardas...
porque tanto demoras,
já se cansam de esperar por ti ,estas tantas e incontáveis horas...
Adelina Charneca

Sem comentários: