quarta-feira, 10 de setembro de 2014

...quero-te assim,
assim,
como se fosses passado
esqueci-te,
para que não fosses presente,...
sinto pena por tanto te ter amado
um amor,
não pode ser tão ausente,
na minha cama,
já não está a tua lembrança,
na minha boca,
já secaram os teus beijos,
a minha pele,
já não chora pela tua falta,
o teu olhar,
é só uma nuvem em volta da lua,
não quero que voltes a mim,
vai-te,
volta à tua solidão,
quem não sabe amar ,
é nela que tem de ficar!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...