terça-feira, 27 de janeiro de 2015


Hoje,
decidi vestir-me com a pele das tuas mãos,
dormir entre lençóis de musicas que ninguém tocou,
sonhar sonhos de gemidos que ninguém provoca,
ferir-te de amor,
sem fazer-te dor
desfazer-te o coração,
vestindo-o de neblinas de algodão,
e amar-te...
(a)marte,
nas estrelas de vénus,
ordenar ao relógio que pare para sempre ,
nas horas do nosso amor.
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...