terça-feira, 27 de janeiro de 2015


Fui à procura de um velho poema
e tudo o que encontrei foi poeira nas palavras
essas palavras gastas de repetirem os mesmos sentimentos
todas dizem o mesmo
todas me falam de ti
da tua ausência no silêncio 
das tuas mãos vazias deixando as minhas mãos frias
não descobri nenhum velho poema que não te fosse dedicado
os meus poemas são todos de alguma forma escritos em teu nome 
que em mim começa a ficar esgotado!
Adelina Charneca

Sem comentários: