terça-feira, 27 de janeiro de 2015


As palavras que escreves têm o som que te vem da alma
alma despida por uns olhos que estando longe te são próximos
mesmo que não seja verdade nenhuma dessas palavras
ainda que sejam uma pura mentira
uma brutal mentira
elas soam como uma melodia encantada
a melodia das tuas mãos despindo um corpo que te ama
os teus dedos escrevem desejo,
e encantamento...
encantamento numa alma que ainda que distante te adora
uns olhos que te vêm a dormir ou acordados
noite e dia pedem por ti
choram por ti,
vivem por ti,
para ver-te,
para esperar que haja no teu rosto um sorriso
sorriso nectar da vida,tu...
apenas tu,
e somente tu,
és letra , 
poesia e palavra,
és alma e coração,
na tua aparente fragilidade,és a força que preciso
a força que me levanta do chão quando caio ,
e são tantas vezes,
és coragem,
forte como uma montanha
mostras-me a beleza dos vales e dos amanheceres,
a tranquilidade do ocaso nas tardes de Inverno
amo-te com todos os teus defeitos
obrigada por existires
obrigada por...
por...por tanto que te devo,
nesta vida e na outra.
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...