quinta-feira, 29 de janeiro de 2015



Eram muitas palavras desencontradas,escritas em linha recta,
não podia escrevê-las,mas podia pensá-las,
juntava-as todas e sentia-se poeta,
eram frases que não entendia
sentimentos que nem sabia
nunca rimava,
mas sustentava o sentimento,
alegrava-se e sorria em algum momento
e agradecia,
como sempre, 
com um sorriso à vida!
Adelina Charneca

Sem comentários: