quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Sempre e nunca

Sempre estarei por aqui 
Onde o Céu me fala de ti 
As nuvens trazem-me abraços 
O sol dá-me os bons dias 
Nas estrelas leio o teu sorriso 
A lua sussurra-me palavras doces
 Como gemidos de noite embrulhados de carinho
 Que assolado pelo desejo esbanja ternura
 Em montanhas de tempestades 
Cortadas aqui e ali por riscos eléctricos 
Marcados a fogo no horizonte .
O dia recomeça e é sempre a mesma lembrança 
Sempre o mesmo pensamento
 Igual ao mesmo desejo  
As  minhas  mãos  gritam-te  abraços  
Os meus braços pedem-te carícias 
Os meus pés correm para ti 
Esgotam o meu corpo no tempo 
Que flutua entre dias e horas intermináveis 
 Batendo-se com os ponteiros do relógio de corda 
Que não acorda para os segundos e os minutos 
Que bastavam à palavra que está no ar 
Que não cai nos meus ouvidos 
Surdos de tanto silêncio escutarem…
(EU)
09-02-2012
22.20h

Sem comentários: