sábado, 4 de fevereiro de 2012

A,B,C,D...


As palavras hoje  buscam caminhos estranhos e desajustados com a realidade e o momento diz-me que uma dia as palavras dirão tudo o que sentem vontade de dizer que te hão-de chamar como  desejarem   te hão-de amar como  querem   ,as palavras dizem-me ainda coisas infinitas marcadas com ferro e brasa no vento,no sol,na chuva …
São palavras do vocabulário que quero ignorar  que  teimoso insiste e persiste as vogais,as consoantes ,os ditongos  e muito mais estão aqui e perseguem-me nos dias de voos longos  e altivos como águia entre pinheirais,roseirais  florestas e jardins mais ou menos recônditos do ser absolutamente invisível às palavras.
O regato ouve-me os soluços e cala-os levando-os na corrente de águas turvas e caudalosas que vão pelo seu leito em apressada corrida aqui pelo vale das vinhas.
Está tudo tão claro mas, de que me vale se a clarividência é apenas na superficie com palavras que um dia direi com o nome que te chamarei e da forma como te amarei…
(EU)
04-02-2012
17.45h

Sem comentários: