quinta-feira, 29 de setembro de 2011


O meu avô pára pouco.


Que importa o nome que tinha?Que importa quantos anos tinha;Também não importa que tivesse a alcunha de "pára pouco"em virtude de não ficar muito tempo no mesmo patrão,a sua profissão era (pastor)e andava sempre longe de casa,"quase sempre"ia lá quando tinha que ir mudar de roupa ou buscar outra muda lavada e claro,matar saudades da familia que devo dizê-lo era muito numerosa,os meus avós maternos tiveram dez filhos,Sim!_mesmo que a sua profissão o obrigasse a ausentar-se de casa foi assim(8 filhas e 2 filhos).
Recordo-me pouco dele, partiu  quando eu apenas tinha  12 anos  porém lembro a sua fisionomia:era o tipico avôzinho,carequinha,tinha os olhos muito azuis e meigos e uma carinha muito fofinha.
A minha mãe gostava muito de falar dele e costumava contar que;como ia poucas vezes a casa e tinha 8 filhas que ele tanto venerava e cuja companhia gozava pouco na hora das refeições com  a prol toda à sua volta,ficava parado a olhá-las em vez de comer_dizia-lhe a minha avó_Bernardino?!"era o seu nome"_atão tu não comis"?_ao que ele respondia tranquilamente:_Siiiiim!não te apoquentis que  já como,deixa-me lá olhar p'ras nossas raparigas:_isto dito com a doce pronúncia alentejana soa-me que devia ser delicioso até porque ela(a minha mãe)contava-me este episódio para nos comparar a mim e a ele:dizia ela...que eu tinha a mesma atitude contemplativa perante as minhas filhas e que isso lho recordava muito:_Que bom!...Ter semelhanças com uma pessoa tão generosa,tão doce e cujas filhas tanto nos encantam  alegram o olhar e aquecem o coração.
Por ter vivido parte da sua vida longe de casa  sendo a avó que cuidava das filhas já que os filhos .um faleceu muito jovem e o mais velho casou com apenas 18 anos julgou o avô não ter direito de dar trabalhos às filhas na sua velhice,queria que  fosse a avó a receber todas as atenções  só para ela e,quando as suas velhas e cansadas pernas de tanto percorrer montes e vales guardando as ovelhas que estavam à sua responsabilidade já não lhe obedeciam mais,resolveu com 81 anos colocar um ponto final à sua vida ,por coincidência com a mesma idade e no mesmo dia em que partiu o velho ditador(o das botas)27 de Julho de 1970.
Está aqui um ponto que eu não gostaria de ter em comum com o meu avô;recordo ainda perfeitamente o Bibe que usava preto e branco quadriculado em sinal de luto durante seis meses que era o tempo a usar-se pelos avós.
Hoje que tenho o enorme"enormíssimo"amor dos meus netos e pelos meus netos penso como teria sido bom tê-lo tido mais tempo,mas a sua enorme generosidade levou-o a abdicar do melhor que se pode ter,a vida.
(EU)
21-11-2010
21.00h


»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««
Ao meu avô(Pára pouco)

Pastor do monte,tão longe de mim.
__Alberto Caeiro__,in"Poemas Inconjuntivos"

Pastor do monte,tão longe de mim com as tuas ovelhas.
Que felicidade é essa que pareces ter-a tua ou a minha?
A paz que sinto quando te vejo,pertence-me,ou pertence-te?
Não,nem a ti nem a mim,pastor.
Pertence só à felicidade e á paz.
Nem tu a tens,porque não sabes que a tens.
Nem eu a tenho,porque sei que a tenho.
Ela é ela só,e cai sobre nós como o SOL.
Que bate nas costas e te aquece,e tu pensas
Noutra cousa indiferentemente,
E me bate na cara e me ofusca.E eu só penso no SOL.

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««



Sem comentários: