quinta-feira, 29 de setembro de 2011


HOJE (dia 8 de Novembro)FARIA ANOS O SR.AUGUSTO(O MEU SOGRO.)PARABENS!


No inicio do século vinte,foi quando se formou a família onde nasceu o Sr.Augusto,uma família como tantas dessa época que para comer tinha que cultivar a terra e ter alguns animais para consumo caseiro,umas galinhas um porco(talvez?)tudo o que as pessoas da minha geração temos conhecimento por termos vivido semelhante situação ou tê-la visto em familiares ou outras pessoas nas nossas origens,pois haviam muito menos pessoas  abastadas do que hoje e sobretudo sabiam que para comer havia que trabalhar sem vergonhas acima de tudo trabalho era sinónimo de honestidade;Era o nono filho (o último) do sr.Manuel e da sra.Antónia corria o ano de 1942,deram-lhe o nome de Augusto e foi tratado como "o nosso menino"pelas manas mais velhas,e o "arrebanha fundos por gostar de rapar o fundo ao tacho ,teve o privilégio de provar belas frutas colhidas das arvores que pela cova da Beira são em abundância,já era assim nesse tempo,suportou os gelos do Inverno com pouca roupa e uns sapatos climatizados que tanto davam pro inverno como para o verão...Por ser o mais novo e mesmo tendo nascido nos anos conturbados de guerrra  no mundo inteiro ,já teve uns privilégios que os manos não puderam ter,aprendeu ainda menino a arte que viria a exercer toda  a sua vida deu os primeiros passos pela mão de um  mestre  na magnifica Alpedrinha(a Sintra da Beira)uma vila que deu algumas  pessoas notáveis ao nosso meio artístico e cultural,e que também o viu nascer.
Como tantos e porque os manos  e as manas mais velhas já tinha imigrado para "Lisboa"o Augustito não foi excepção e também lhe seguiu os passos,hoje Venda Nova antes (Porcalhota),foi o destino da Família,e o menino que já era um artista na arte de cortar cabelos a escanhoar barbas,lá arranjou o seu 1º emprego na Capital do país,onde viria a conhecer a sua prometida  ela sim nascida no local onde nascem mais crianças em todo o país(MAC),o destino dos rapazes dessa época já todos sabemos qual era,nasciam já com  a cartilha sabida,nascer fazerem-se homens e se eventualmente não  fosse assim a Guerra colonial tratava do resto fá-los-ia homens a toque de caixa,com o Sr Augusto não foi diferente,nos melhores anos da sua vida,lá vai ele assentar praça na Figueira da Foz no ano de-1963-nessa  época já se sabia que todos iam(Para Angola e em força...jááá).o rio Tejo também o viu partir como a tantos milhares também se lhe cantou(Adeus,uma palavra tão triste  que tanto custa a dizer).deixou a família em prantos,Pais irmão(a)s e sobretudo a esposa já esperando o seu filho,lá foi o Menino Augusto como foram tantos Maneis,Josés,Joaquins e outros...para um exílio de 36 meses...36 meses são 3 anos...mais nove meses na Metrópole como lhe chamava-mos naquela altura ao Portugal Continental,durou 4 anos o martírio de servir a Pátria tempo mais que suficiente para lhe estragarem a mente,até porque ao fim de 4 meses nasceu o seu filho,daí a mais uns poucos meses faleceu o seu pai e tudo isto viveu na angustia da distância,impedido que foi de viajar para assistir a estes acontecimentos tão marcantes na vida de qualquer ser humano,voltou 36 meses mais tarde (com a chapinha inteira) , ele já não estava inteiro por tanto que lhe tinha sido roubado  psicológicamente,conheceu o filho quando este já ia completar três anos,por causa de uma Guerra estúpida e  sem razão de existir,não pode usufruir da felicidade de o ver crescer,voltou quando em Lisboa  a canção já era outra ,cantava-se então o orgulho na Ponte sobre o rio Tejo(O navio vai deixar o  rio,deixa-o ir, deixa-o lá partir p'ra que o Tejo a todo o mundo conte, que Lisboa está da cor da Ponte.)...a sua vida seguia igual à de tanta gente,os traumas faziam-se notar em forma de carência de alcoól...traumas esses que só vieram a ser falados em sociedade quando já tinham  destruído a vida a tanta gente,tantas famílias desestruturadas e falidas por destruição afectiva e moral, aos 40 e poucos  anos teve o  primeiro percalço na saúde,foi  operado ao coração onde lhe foi colocada uma veia nova retirada do seu próprio corpo para passar a ter qualidade de vida,já nessa época o Sr.Augusto era um estimado e amável barbeiro,um amigo do seu amigo onde ele estivesse não faltava nada,ou ao pé de si ninguém tinha necessidades como queiram,e assim foi ele grangeando simpatias e amizades verdadeiras por exemplo de clientes que o seguiam para onde ele fosse trabalhar,ainda... e só com 56 anos chegou  o acontecimento que viria a marcar mais uma vez a sua vida de trabalho pois foi só o que fez na vida foi tentar fazer frente ao stress de guerra(que por vezes o vencia) e o trabalho que ele fazia de bom grado pois notava-se-lhe o grande gosto por cortar cabelos e dar dois dedos de conversa(como é inerente a todos os barbeiros)E o brutal AVC chegou numa altura em que se dizia cansado, ele bateu-lhe à porta e como não chegava um em 48 horas sofreu varias repetições ...o Sr Augusto venceu...deixou-lhe marcas profundas,A minha filha mais nova neta do coração descreveu-o assim---(Ternura e amizade são duas palavras chave para o descrever,sofreu um AVC que lhe roubou a capacidade de falar e alguns movimentos,disseram-lhe que ficaria inválido,com muita força de vontade contrariou todos os cenários negros que lhe diagnosticaram,não é independente mas é autónomo,não fala mas emite sons muito perceptíveis porque lhe saem do coração).viveu  por vários anos com estas limitações;tinha que ser uma "canalha" de uma escada a tirá-lo do nosso convívio,assim à traição sem avisar, numa estúpida manhã de um 9 de Fevereiro,antes de lhe dizer-mos que o admirávamos muito pela sua força e coragem e pelo carinho que nos dedicava,antes que os bisnetos soubessem dizer alto a bom som(é o nosso bisavó Augusto)  a vida só o conseguiria vencer dessa forma,passando-lhe uma rasteira!ERA UM HERÓI,de frente para ele não era fácil,já que resistiu a tanto.Seria o nosso João o último a sofrer a dor que ainda hoje o persegue e o assalta tantas vezes,pois calhou-lhe a difícil tarefa de o reconhecer(como se fosse possível reconhecer alguém que na vida foi mais que um amigo,naquele estado lastimável??)
Fizemos-lhe a despedida merecida,cumpriu-se o que sabíamos...estiveram tantos mas tantos amigos a despedirem-se dele,que só não nos causou espanto porque sabíamos a pessoa que estava de partida.
FARIA HOJE ANOS DE NASCIDO,O SR.AUGUSTO...NUNCA QUERIA FESTEJAR MAS,LÁ NOS JUNTÁVAMOS PARA COMER NEM QUE FOSSE UM FRANGUINHO ASSADO,NA LOJA QUE ERA O SEU LOCAL DE  ELEIÇÃO,ONDE PASSOU OS MELHORES  E OS PIORES ANOS DA SUA VIDA...PARABÉNS T'I AUGUSTO.
(EU)
08-11-2010
00.00h.


Foi assim no seu último aniversário connosco.
A casa que fundou e que resiste à crise,onde tanta vez o ouvimos cantarolar o refrão que lhe dizia tanto...(Lá diz um homem que foi toureiro afamado,mais marradas dá a vida do que um touro tresmalhado:)ele lá sabia de que falava!


Junto à rosa, a cadeira onde gostava de ficar sentado gozando do pedacinho de paraíso que conseguiu obter com o esforço do seu trabalho.A sua quietude era tal que as aves se aproximavam até junto dele.

Sem comentários: