sexta-feira, 2 de março de 2012

liberta(me)de mim

Este Outono que vive em mim
Com folhas  amarelecidas
esvoaçando em direcção ao chão que piso
não me tranquiliza em nada e nem por nada
cria-me expectativas que não me  poderá satisfazer ,
física ou emocionalmente ,
apenas me confunde o ser e os (sen)tidos
atabalhoadamente ,
engana-me à descarada possuí-me e deixa-me magoada …
pergunto-lhe ;
Tu Outono
porque não partes de mim ?
não podes ver-me voar
como o fazem as tuas folhas vencidas pelo vento do tempo???
...vai, parte e liberta-me desta estação
ou afoga-me  de vez o coração
trucidando-me os sonhos as ilusões tudo o que me faz respirar e ser,
 porque não vais e das lugar a uma nova Primavera ,
aquela que há tanto tempo ando à espera?
Os  meus pés já não suportam o teu chão ,
das minhas mãos roubas-me tudo ,até o pão.
Parte de mim  viaja para bem longe,
Outono enganador que me impede de ser o amor,
 recuso-me a viver-te ,
não quero mais ter-te
nego-te a luz que me cerca
tu não subtraias mais o meu viço ,
não me beijes ,
só quero que me deixes ,
assusta-me ser beijada por um Outono sem chama sem brilho .
 Outono pálido ,fingido…
ignora-me e vai …liberta-me…
deixa-me ver outra estação
que me dê um abraço terno ,
mostra-me outro sentir e outro ser
quero trocar-te nem que seja pelo Inverno...
(EU)
02-03-2012
05.30h

Sem comentários: