sábado, 31 de março de 2012

(EU)...em fragmentos



Na corrida  do dia
chega  por fim a tranquilidade na noite…
Parto-me e reparto-me ,
desfaço-me e contrafaço-me
e não me vês aqui.
Estou desfeita em estilhaços
Atirada contra uma parede
Que não se inclinou ao meu desgosto
Fragmentos de vidas
Que não foram escolhidas
Vidas mal divididas.
Encosto-me na minha própria sombra
Vergo-me à penitência que me infliges
Suplico-te compaixão,
Olhas-me e dizes-me  apenas…
não!
Trespassam-me os teus olhos de lado a lado
Perturba-me essa distância
Esse gelo,
Será  que vives no polo norte
Meu esquimó
De quem não tenho dó
(EU)
31-03-2012
00.35h

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...