sexta-feira, 23 de março de 2012

Confusa...



Já o dia se faz dia ainda a noite não chegou ,espero-a para a enlaçar no meu ser.
Não tenho o caminho à vista , todas as estradas estão fechadas.
Excluo-me de viver
os meus olhos  deixam de te ver,por aqui.
Afunila-se a estrada
vou na direcção oposta a ti
sinto-me fraquejar e…
Não encontro a minha âncora,
a minha guarda ,o meu poiso,
perdi ,e senti que ia perder.
Mesmo assim
deixei ir…larguei,
lúcida ,desperta ,consciente.
Ainda não sei por onde vou
mas…
Sinto que vou por aí…
ao encontro sei lá de quê.
Ao encontro de me entender…
confusa ,alheia…
complicando o que era fácil…
e…
assim mesmo…
vou….
(EU)
23-03-2012
08.00h

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...