sábado, 3 de março de 2012

Cores

O tinteiro sem cor de onde tiro as minhas palavras
Está cheio da esperança que elas encontrem o seu retorno
E voltem a mim escritas por mão invisível
Que as liberta
E simultaneamente
Me prende 
Mão inquieta
Tinteiro sem cor
Cheio de líquido colorido
Que se espalha nas minhas vestes
Tornando-me um arco-íris
Que faz dos longos dias
Uma espera demorada
Dentro do meu ser.
(EU)
03-03-2012
22.22h

Sem comentários: