segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Não esqueço


Todos os relógios de casa
Já batiam as 24 horas
Quando por fim o sono a venceu!!!
No seu pensamento
surgiam as lembranças em corrida louca
De todas as vezes que ele havia beijado a sua boca
O toque das suas mãos
Sentia-o ainda bem vivo
O entrelaçar dos dedos entre os seus
Era ainda uma lembrança
Que a fazia corar de excitação
Como se pode amar tanto a uma pessoa
Se o simples toque dos seus dedos te fazem levitar 
Ou sentir um arrepio na pele
Tão forte ...
que era impossível não sentir
A lembrança dos olhares cruzados
Ainda a fazem sorrir
E ela...
Deixa-se levar no peso das recordações
Que não consegue conter
O mundo gira em volta dela
Mas...
O seu mundo...
Parou!!!

Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...