terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Tenho saudades



Muitas saudades do tempo em que todos os dias nos falávamos,
naquele tempo em que ainda nem nos sentíamos,
em que eramos só uma imagem que se movimenta em sonhos,
nesse tempo em que ainda não te amava
tinha-te quase sempre ali,
ao alcance da mão,
todos os dias um bom dia,
todos os dias um desabafo...
assim me foste ganhando,
e  te ganhei...
...quando escrevo-ganhar-?
Quero dizer...
Ganhaste-me o coração
Ganhaste-me a atitude e a postura
Ganhaste-me em toda a minha figura
Vá-se lá saber porquê...
Eu não sei...
Não me consigo explicar
Não te consigo explicar
Mas também não te posso esconder
Não quero e não devo
...não sei se daí vem um sentimento semelhante
Mas...venha o que vier
Só posso aceitá-lo de bom grado
Só posso acolhê-lo dentro de mim
Dentro do meu vazio
Que foi totalmente
Preenchido por ti
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...