segunda-feira, 29 de junho de 2015


Fado do vento que passa:

Mandei um recado ao vento
e ele de mim troçou
pedi-lhe um amor sincero
mais uma vez me enganou.

O vento tem destas coisas
sopra p'ra qui e p'ra li
não vi vento nem amor
e o resto,eu já esqueci.

Virei-me para o luar
e fiz-lhe o mesmo pedido
o luar ama-me a sós
diz que o amor já está vencido

Ao Sol eu nem me atrevo
a pedir tal disparate
queimada já eu me sinto
e cantar fado é uma arte.

Adelina Charneca!
(todos os direitos reservados ao abrigo do código de autor)


Sem comentários: