sexta-feira, 19 de junho de 2015



Era suposto,
que na última sexta-feira da Primavera estaríamos juntos...dizes tu,
era provável que o nosso abraço ,
nos fizesse unir,
como duas peças de aço
era tão bom,
neste dia de coração quente,
sentir no teu abraço plumas de vento a bailar
e nas nuvens perder-mo-nos de tanto conter o amar,
nestes Maios de Primaveras estéreis,
sonhamos noites de inverno ardentes
luares de quartos crescentes
em sois de estrelas cadentes,
tu e eu...dois loucos que se buscam nos sonhos
eu e tu...duas almas que nem sabemos quem somos
num mundo de loucos sãos,
de tanto buscar
de tanto nos tentarmos amar!
Adelina Charneca*

Sem comentários: