domingo, 30 de agosto de 2015

Ainda um dia hei-de medir o tamanho da nossa distância,
o tamanho da dor que que ti me separa com esta violência.
Talvez um dia o mundo seja mais pequeno
e nos voltemos a cruzar,
quem sabe ,
se algum dia se encolhem o mar e as montanhas
só para te encontrar,
e o meu coração ferido em flor
te abrace ,
com esta vontade que tem,
e sempre teve de te abraçar !
Adelina Charneca

Sem comentários: