sexta-feira, 4 de maio de 2012

       
 (...)
És como um rio que corre em mim
Sou como um rio que passa por ti
Levas as minhas margens
Levas de mim pedaços
Levas de mim
Só levas de mim
Não me deixas nada de nada
E nada é tão pouco
Quase nada.
(EU)
04-05-2012
08.30h

Sem comentários: