quinta-feira, 29 de outubro de 2015

E então, então passa o vento, passa a nuvem escondendo o sol, passa o dia e chega a noite, chega a saudade , a saudade de não estar, de não estar onde não chego, onde não estou mas, onde quero estar, no sol, nas estrelas lá no firmamento, na lua, na noite e no vento, estar sem estar, e não estando estou, estou sempre no sonho no beijo nunca beijado na noite e no dia mais desejado. Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...