sábado, 7 de fevereiro de 2015


Ficaram meias palavras por dizer
presas por um nó de emoção
ficaram duas vidas por viver
separadas ,unidas pelo coração,
andam mil lágrimas no ar 
fazendo a saudade arder no peito
lábios frios que não mais querem beijar,
cores suaves de um amor perfeito,
na despedida que nunca se fez
havia sombras tristes no olhar
era uma incerteza,um talvez
um ponto final,naquele amor de amar
servindo a paixão em copos de cristal
tinham nas mãos uma vida de encantar
tiram as mascaras no Carnaval
sonham em almofadas de linho por bordar,
promessas feitas com grande fervor
nas horas da loucura que tiveram
amor eterno,amor sem favor
loucos de saudade...
morreram!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...