quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015


Se quiserem saber de onde vim e quem sou,
é por aqui,
nesta imensidão onde o olhar nunca chega ao limite
é debaixo deste céu 
que eu sinto tudo o que é meu
é nesta saudade que me mata cada dia
neste encontrar-te que me enche de alegria
é Alento de carinho força e coragem
é Além Tejo onde o sol tem mais calor
e a lua cheia tem mais força e mais côr
és terra minha ,
é onde tudo deixo e tudo trago
és meu Alento minha terra meu agrado,
Do lado de lá do Rio que me encanta
fica a terra cuja beleza me espanta
do lado de cá fico eu na solidão
nos amanheceres da tua imensidão!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...