domingo, 1 de fevereiro de 2015


Estás aí,
eu sei quando estás,
o meu coração avisa-me da tua presença,
sei que estás quando ele acelera descompassado,
não tens que me chamar,
eu sinto-te,
se me perguntas como é que tal acontece
não saberei explicar-te,
não saberei dizer-te claramente
apenas sei o que sinto,
e o que me fazes sentir,
sei que estás aí
porque a minha pele se arrepia,
sei,e nem tens que dizer bom dia
mas,
não cales
diz sempre o que queiras
diz o que sentes desta ausência,
o quanto dói o coração
o anoitecer sem o conforto de outra mão
a ausência de um sorriso ao amanhecer
a falta do braço e do abraço
diz-me;
conta-me essa dor
porque eu sei,
eu sei sempre que estás aí
só,
contigo e com os pensamentos
só contigo mesmo,
estou contigo mas não me vês
nunca te falo
nunca te deixo!
''assinado''
Solidão
Adelina Charneca

Sem comentários: