quinta-feira, 5 de dezembro de 2013


...e eis que...
quando a esperança já era morta...
o colete de forças se desfaz...
e ao brandir da espada da guerreira...
guerreira de bandeira Branca cor da paz...
de bandeira doce como o seu amor...
eis que...
o bem mais uma vez venceu o mal...
Adelina Charneca*

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...