domingo, 3 de junho de 2012

Na minha e tua fronteira


Na fronteira da ponta dos teus dedos,
que me tocam em brasa
acendendo-me em labaredas incandescentes.
Nessas tuas e minhas fronteiras
não há chek in,
nem controlo alfandegário,
não há piloto automático,
apenas existe a minha e a tua vontade
e essa vontade
é capaz
de ir ao fim do mundo
buscar a chama que a ponta dos teus dedos
me acende ,
sem fronteiras.
(EU)
03-06-2012
00-00h

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...