segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Se um dia o vento me dissesse que uma ave de metal as nuvens rasgaria com parte do meu coração dentro, eu diria ao vento que não se tornasse para mim num tormento, se um dia , o meu ventre se rasgou de dor para trazer à luz do mundo um dos meus grandes amores, ele me dissesse que na verdade um dia estalaria de tão grande e imensa saudade, nesse dia, eu gritaria ao mundo que o meu ventre padecia de uma grave insanidade, e se de insanidade padeço, se o vento me roubar o amor que é tão meu, e as nuvens se deixam trespassar por aquela ave de metal que leva dentro o meu amor por quem um dia o meu ventre se rasgou de dor, se me doi, me consome, me asfixia e tenho que fazer segredo, se me mata cada dia e me leva a alegria, sem medo, porquê as nuvens cobrem o sol, porque as aves de metal voam mais alto que as outras, porque a dor segue devastando o meu ventre já sem amor... 《Continua nos próximos capítulos,no dossier da saudade》 Adelina Charneca

Sem comentários: