quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Asas...

Do pensar do ser no tempo em que me revejo e me penso,tenho(me)em asas escaldantes que esvoaçam em meu redor mantendo-me  presa a este chão onde sementes não germinam por contaminação,embuste de vida que anseia mudar de rumo sorvendo cada particula de oxigénio em compartimentos cuja propriedade me é negada...
...A  alma tão vazia recusa alimento,está com fastio de viver querem enfartá-la entupindo-a para não ver, não pensar ou não ser...

Sem comentários: