sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Deserto


Vive em mim um deserto que se alimenta de oásis inexistentes,pouco a pouco cola-se-me à pele uma sede que não consigo explicar ou traduzir,inundo-me de águas sorvendo-as com a concha da mão deixando escorrer gotas que me caiem aos pés como se pedissem perdão por não bastarem ao meu corpo sequioso...
(EU)
18-11-2011
22.30h

Sem comentários: