quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Espero

As aves rodopiam em círculos apertados piando ruidosamente ,
como carnívoros sobre a carniça...
__Demonstram uma cegueira estranha e difícil de entender ,
tento abstrair-me da cena deprimente e concentrar-me nas palavras que insistentemente me surgem no pensamento.
Mas...
Não consigo dizer em tempo útil tudo quanto penso,
o pensamento supera e muito a velocidade da luz,
ultrapassa-me e não me espera,
preciso correr até alcançá-lo para que nenhuma palavra se perca.
__Vou no sonho das palavras,
concentro-me no voo das aves e nos seus círculos ruídosos,
sinto-me em cada uma destas piruetas,
as das palavras e as das aves e sinto a chegada acontecer por breves momentos.
Momentos!!!
Por momentos senti que tudo era obra do momento que em mim se fez vida
Espero em ti,em mim,em nós,
espero...
(EU)
02-11-2011
15.00h

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...