sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

...à vida!



Sinto o meu corpo como terra sem abono
Terreno baldio sem dono
Como se fosse vaso sem flor
terra a ferver
como chama no meu ser  
mulher
sem amor!
Tenho o mundo na minha mão
Sonhando dia após dia
conquistar o teu coração
Vou ter de fazer magia
...e
conseguir ser o teu querer
Voltar a sorrir
Ter brilho no olhar
E no teu coração viver.
Até morrer!
Adelina Charneca

Sem comentários: