sábado, 26 de janeiro de 2013

Poema ao amor



Amor
Quando te escrevo-amor-
Penso-te 
E nesse momento
Quero sentir-te em flor
Alheio ao meu tormento
Amor
Se te sentisse-amor-
Se viesses até mim
Queria-te sem dor
Sonhando-te(me)  assim
Simples e sem pudor
Amor
Andas tão distante-amor-
De mim e do meu sentir
Seja lá pelo que for/ou como for
Até mim tinhas de vir
Amor
Quem como eu ama o amor
Tem que um dia ser feliz
Amando seja a quem for
Se o amor assim o quis
...ai amor
Fazes-me voar-amor-
Voar pelos sonhos que sonho
Vem até mim sem favor
Deixa-me sentir
Viver a vida que tenho
Amor
És uma paixão anormal
Amo-te até ao fim do mundo
O amor não me faz mal
Se sentido bem do fundo
Mas o amor...
Não me quer bem
O amor não me quer perto
O amor de quem me  tem
Não vou perdê-lo’’decerto’’.
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...