domingo, 15 de setembro de 2013


...já me encaminho...
em absoluto equilíbrio em direcção ao luar...
...já sonhando...ainda acordada...
em sonhos de não despertar...
...já vou voando...sem direcção ...
a inventar um coração...
Um coração não se inventa...
ou nasce connosco ou ...
ou...sem coração a dor não se lamenta...
Custa-me aceitar...
mas...
agora
é mais fácil acreditar...
em jogos de sonhar...
sem princesas de encantar...
sem sapatinhos de Cinderela...
mas...
com abóboras...
e fadas espreitando à janela...
visões ...
atordoamentos...
dores sem bons sentimentos!
Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...