sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Palavras sem resposta



As palavras mais difíceis de dizer
São as que nunca têm resposta,
As mais difíceis de ouvir
São as ditas em silêncio,
As melhores são as que saem da alma
Ditas com o coração nos lábios,
As palavras ditas,
Escritas,
Escutadas e nunca respondidas
Um dia voltarão a nós
E dilas-e-mos de novo
Como se o nosso fosse um mundo novo
Um mundo onde não existe o ontem
E apenas construiremos um amanhã
Cheio de esperança,
De amor ternura e carinho
Que não caiba nos olhos,
Na boca
E escorra pelas ruas ,
Pelos regatos,
Pelos rios
E vá desaguar no mar,
O meu mar,
O mar que trago dentro de mim ,
Mar de sal,
De areias movediças,
De vida sem ter vida...
apenas mar sem mar!
Adelina Charneca.

Sem comentários: