sábado, 4 de julho de 2015


Quadras soltas de mim

Se poetisares minha alma
nunca esqueças de a selar
a alma nunca se nega
a quem a quiser amar
ladeando o coração
tenho uma rosa encarnada
viver de amor e paixão
sem pensar em mais nada
Luz de mel dos teus olhos
aprendiz de amantes sábios
beijo em ti a cada instante
esse morango,dos teus lábios
sabor a mar e a sal
marés de algas verde e rubras
beijos loucos por meu mal
hoje,
amanhã nem saúdas
esqueceste o prometido
como sempre, é costume
acendes-me,e acencido
vais,e deixas-me em lume
pensando em ti chorei
julgando o mundo sem ti
às vezes até te amei
mau grado o que perdi
quadras soltas ao amor
dizem mais do que queria
já passou,já não és dor
és passado de algum dia
digo-te adeus sem morrer
que viver é o que quero
nunca mais te volto a ver/
graças a Deus,assim espero!
Adelina Charneca
:

Sem comentários: