sexta-feira, 15 de maio de 2015

Esta é uma imagem linda e a mim mereceu-me atenção e descrevê-la poeticamente foi facílimo,não me importa nadinha com quem não gostar ,a mim emocionou-me o conjunto de arte pura da conjunção homem e cavalo,e foi com emoção que escrevi!
Se eventualmente alguém que saiba compor musicalmente e o quiser fazer,estarei à disposição para alguma alteração necessária.
________________________________________*
Fado Paulo Jorge
Eram tardes de fim de Maio
o sol brilhava a meia sombra
na praça,a areia já estava suja
e aí...
entrava ,o Toureiro de Azambuja.
Paulo Jorge Ferreira se chama o menino
levantava a praça do lugar que o viu nascer
Vivia um sonho de pequenino
e a sua terra,toda de orgulho a ferver
Era um poema o seu cavalgar
havia mando nas suas rédeas
com as esporas ordenava o ladear
quase que o touro voava
enquanto o povo se divertia em festa
e gritava....
Paulinho,só mais um,só mais um
O menino de Azambuja,
brilhava e conquistava
e se não fosse assim
como seria ele o vencedor das corridas da Povoa de Varzim?
Toda a vila o seguia,de carro ou camionete
até terras do Norte.
e trazia os troféus
com os touros que lhe tocavam em sorte.
Na Tv também se lhe rendiam os aficionados.
e as tardes nos cafés da terra enchiam-se com os menos abonados
recordo com saudade este menino
e quando o vejo nas fotos
também o julgo meu um pouquinho!

Adelina Charneca

Sem comentários:

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...