segunda-feira, 30 de abril de 2012

Não me sei


Ando na vida como quem quer
Ando como quem procura
Como quem não se encontra
Ando,ando,ando,ando
Tentando
Encontrar o que perdi
Trazer-me de volta para ti
Ter-te em liberdade
Como ave que voa de verdade
Haver-te e reaver-te
Tocar-te e sentir-te
Morrer para viver-te
Quero-te ,queres-me,queremo-nos
Temo-nos,vivemo-nos e amamo-nos
Vergamo-nos ao desejo que nos possui
Tomamo-nos em pequenas doses
Que nos fazem flutuar,voar,arder
Confundem-se as nossas vozes
Carinhosas frases pensadas
Queremo-nos e consumamo-nos.
(EU)
30-04-2012
9.30h

Pode ser


Pode  ser que te queira
Até posso não te querer
Será que tu me queres
Ou apenas me desejas
Pode ser que te ame
Embora ainda não te veja
Será que vais amar-me
Ou apenas serei algo que desejas
Pode ser que me adores
Pode ser que me chores
Pode ser que me ilumines
Pode ser que me encantes
Pode ser que me acendas
Pode ser que me entendas
Pode ser que me ignores
Pode ser,pode ser,pode ser
Hoje,amanhã ou depois
Pode ser,pode ser,pode ser
Agora,logo ou mais tarde
Pode ser,pode ser,pode ser
É
Uma fogueira onde o meu corpo arde
(EU)
30-04-2012
9.30h

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Devaneios




Distantes andam as lembranças dos dias calmos e tranquilos ,
que de amor se vivia…
Mais distante estou eu desse amar em cada dia.
Falando de amor,
Na verdade que procura
Perco-me apenas
em ruas  de dor.
Não quero saber de ti ,nem de mim,
não quero saber de nós os dois.
Que mais me importará
Que não seja dormir e acordar?
As palavras são vingativas
Andam ao meu redor
Massacrando-me sem descanso
Deixo-as ir…
Cravam-se em mim
Como alfinetes em roupa de costureira
Preparando a prova final.
Ai,ai,ai, penso já perdendo a compostura;
Quedo-me pensando para comigo que não sou nenhum terreno abandonado para que qualquer lhe apeteça plantar em mim o que quiser do jeito que quiser
(EU)
12-04-2012
18.00h

Gosto de ti




Sempre e nunca,
são duas palavras significativas
que nada podem dizer se na boca de quem as diz elas apenas tiverem o sentido do momento ,
sentido sem sentimento;
movem-se as palavras ditas
coram de tanto serem usadas ,
quedam-se nos meus ouvidos se as ouço
na minha boca se as digo ,
andam de encontro a mim
ao sabor da hora
do momento voando ao vento.
Efémeras palavras que depois de ditas(escritas) já não têm como voltar ao ponto de partida.
Gosto de palavras…
Gosto de quem as diz…
Gosto de ti…
Ao som das palavras!!
(EU)
12-04-2012
14.45h

Pedras...




Nas esculturas que diariamente os teus olhos fazem em mim ,
quero apenas fazer-te entender que o meu pó não é de pedra ,
o meu olhar não é granítico ,
serei até um pedaço de matéria
em bruto nas tuas mãos cegas
buscando contornos em mim
escavando lascas  à minha matéria
largando-os soltos pelo chão
esperando a ventania que os arrasta para longe de ti
onde não cheguem os meus lamentos ,
os meus ais de desespero
que na solidão se  cansam esperando(te).
Cresces para mim no momento em que me vês e me sonhas entre as tuas mãos como escultura ainda não esculpida.
Pedras são apenas isso
(EU)
12-04-2012
14.40h

quarta-feira, 11 de abril de 2012

(...)

Um arrepio,
sinto-o fazendo-me estremecer.
Será frio?
ou vontade de te''ter''?
Chega devagar
deixando-me em espera
gela-me escaldante...
Dúvidas?
Não tenho...
dou-me sem limite.
Certezas?
Não sei,
verdades?
Algumas...
poucas.
Quero...e ponto final.
Quero ter o poder,
de apenas te ter...
agora!!!
(EU)
11-04-2012
14.25h

Hoje

Tenho a casa cheia de visitas...
instalam-se nos quartos,nos WC's...
na sala de estar,na cozinha,
as minha visitas hoje estão muito mal comportadas,
fazem ruído,flagelam-me o corpo sem sentido,
usurpam-me o espaço mal colorido,
olham-me de lado,
ora com zanga,ora com amor,
carinho,compreensão
as visitas de hoje não sabem estar com tranquilidade,
violentam-me,fazem-me dor
e eu sem forças deixo-me ir ao seu sabor.
Vocabulário de ingenuidades,
gramática de verbos desconjuntados,
silabas trementes,
as minhas  visitas hoje são as palavras,
que não me largam,
estão pegajosas,chatas...
absurdamente inconsequentes...
(EU)
11-04-2012
12.30h

(...)

Poderosamente,
sinto o tempo em mim
São horas e minutos
de pensamentos assim.
Caminhamos separadamente juntos,
as pontes que nos separam
não se revelam capazes...
engenharia sem engenho,
que não nos sustem
palavras e mais palavras
em posição contrária
pedaços de estreitas veredas
abertas,rasgadas.
Charnecas floridas
de todas as cores.
O corpo gélido rasga a noite,
as mãos que o sustém
estão trémulas
sentem-se pequenas
incapazes de agarrar tanto,
do tanto que desejam.
(EU)
11-04-2012
12.15h

Dói(s)-me


Dói(s)-me
dói(s)-me aqui dentro
não sei onde,
mas aqui
num lugar
que não vejo,
mas sinto,e toco,
dói(s)-me
de tal forma violenta
que te peço
parte,
vai-te do meu corpo
que te inventa.
Ó dor
que me massacras por dentro
sai de mim trás-me de novo
o meu alento.
Adelina Charneca

Porta aberta às palavras




Hoje as portas estão abertas...
escancaradas
as palavras não param de chegar....
deixo-as entrar
agarro-as,
prendo-as a mim...
trago-as,
(des)largo-as
ao vento,
à liberdade
e...
elas vão,
vão...
sem voltar,
palavras com asas,
utópicas vontades,
sem vontade...
(EU)
11-04-2012
10.30h

Altas velocidades

Percorres ruas em mim,
ligas-me a''ignição'',
chegas  fundo,em alta velocidade
segues o sinal de sentido(s) obrigatório(s),
perdes-te no sentido proibido
circulas espreitando o nº ímpar
em cada lote,
cada milímetro de pele à flor da pele
viajas de capota aberta
soltas(me)os cabelos ao vento
e vais de mim em mim
sem parar de te movimentar,
estacionas por tempo ilimitado
sem restrições horárias,
não tiras ticket,mas...
já sabes que tens livre trânsito
encostas o beijo com o beijo
invertes o sentido de marcha
todos os dias,
sem sentido consentido.....
(EU)
11-04-2012
09-20h

Eu sei

Estou parada sobre estas pedras e espero-te...
Sei,sei que virás,
sei que não vou resistir-te,
desarmas-me
por ti perco todas as  defesas,
por ti parto-me,
desfaço-me em inúmeros pedacinhos,
em mim viajas só com bilhete de entrada
instalas-te-te
surgindo do nada que a minha ilusão criou.
Afiguras-te poderoso demais para te vencer...
deixo-te entrar,
abro-te as portas e as janelas de par em par
(minha Primavera anunciada)
desarrumas-me todas as gavetas
até então fechadas,
o ar circula agora por todas as divisões
e,em mim
respira-se um novo ar,um novo ser,
talvez uma nova vida.
Partes...
fecham-se portas e janelas
guardo todos os segredos
ergo-me
deixo para trás o caos
esperava-te sentada nestas pedras
que aos meus olhos
vejo agora apenas como um amontoado
espalhadas no meu caminho
umas sobre as outras
''amontoadas''sem ordem...
(EU)
11-04-2012
08.30h

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Tempestade........

Eu vi um barco atolado em bancos de areia numa praia que não alcançou.
As águas  batiam-lhe violentamente de todos os lados,
os ventos rasgavam-lhe as velas que abanavam  procurando o   final da tempestade que varria as águas.
O brilho da lua cheia cegava-me os olhos cansados de procurar encontrar nela dezenas de respostas a tantas perguntas que não as tinham.
Estamos remando sem tino por mares revoltos de águas imensas,
salgadas do desespero de almas perdidas debaixo de grandes tempestades correndo assustadoramente o risco de atolar na praia 'sem''remédio que salve a imponente embarcação...que afunda.....afunda........
(EU)
09-04-2012
09.35h

sábado, 7 de abril de 2012

Apenas e só......


Chegas bem perto de mim e,
dizes-me coisas ao vento,
à chuva,ao luar,
em horas fora de horas
sei ...
que não me dizes tudo que te apetecia
engoles em seco e
pela força do hábito
já nem te engasgas com as palavras não ditas...
Amo-te,adoro-te,venero-te.
Se me amas,
ama-me de verdade,
como eu gosto
não como tu achas que deves amar
se me adoras,
cobre-me de jóias e diamantes
se me veneras,
não olhes para mais nada
que não seja a minha direcção
a minha pessoa
o meu ser clandestino
em deligencia
conduzida por estreitos caminhos
cheios de pedras e espinhos
se me queres,
toma-me a meu gosto
só a meu gosto............
(EU)
06-04-2012
00.00h

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Para ti,com amor...............♥



♥♥♥♥
Eu só quero uma casinha na beira do lago...
Eu só quero uma casa na beira da vida...
Eu só quero uma casa no teu coração...
Eu só quero uma casa ...
Não me digas que nãoooooooooo...
Eu só quero uma casa na beira de ti...
Eu só quero uma casinha no sitio que escolhi...
Eu só quero é ter uma casa...
Mas,não quero viver...sem ti...
Na minha casinha da beira do lago...
Cabes tu ,eu,e muito mais do que aqui trago...
Na minha pequena e humilde casinha...
Cabe tanto ,mas tanto amor...
Que aqui...na beira do lago...
Cabe tudo...na casa que é tua e minha...
...................(EU)---
03-04-2012-----
12.00h...

Olhares


Alma trespassada por olhar indiscreto
Alma exposta a vozes alteradas
Com todo o ser a descoberto
Vencida ,
entorpecida
Partida em pedaços,
Estilhaços impossíveis de juntar
Machucada ,
dolorida,
Abandonada ,
sofrida
Alma…
Exposta ao olhar indiscreto
Trespassada,
Com todo o(seu) ser a descoberto…
É uma alma que ama
E que procura
Onde para?
Onde está?
A sua chama…
Incêndio galopante
Em corpo
Sem alma………..
(EU)
04-04-2012
18.30h